Rasgando rótulos e quebrando Tabus.

 

É estranho como vamos esquecendo de quem somos, do que gostamos e para onde vamos. Por que não conseguimos nos esquivar dessa louca sociedade que fica nos impondo modas, nos vestindo de qualquer coisa?

Por que será que quanto mais vivemos menos nos vestimos de nós mesmos?

Cadê o investimento do meu “eu perfeito e feliz”?

Cada vez mais vejo pessoas infelizes, descrentes uns com os outros, arredios e medrosos. Por que Isso?

Por um tempo eu me criticava por não ser igual às outras pessoas. Tentava me moldar pra ficar de acordo com as demais, e sempre acabava frustrada. É duro tentar ser alguém que você não é. Uma hora cansa.

Eu imaginava que para ser aceita em determinado grupo, eu deveria ter o estilo descolado, ser “patricinha” ou roqueira… Pensava eu, no auge da minha imaturidade que eu deveria me distanciar de mim, da minha essência, da minha construção de ser melhor, para caber na realidade do outro e muitas vezes até esse outro andava perdido.

Quanta bobagem! Quanto tempo desperdiçado!

Saber que eu posso ser quem eu quiser e que eu não preciso entrar numa fôrma para ser igual a qualquer outra pessoa é libertador.

A vida passa enquanto estamos de pijama, descabelados e com bafinho. A vida corre entre os dedos enquanto comemos pão velho com manteiga requentado na frigideira.

Não existe essa de acordar linda! Apenas acorde… E agradeça.

Até quando dormimos maquiadas acordamos estranhas e com o lençol todo manchado de pó facial e rímel.

Que tomemos consciência que a beleza mais interessante é a interior.

Tenho um trabalho árduo para ser alguém melhor todo dia, embora essa nossa cultura tente me desanimar. Não caio nessa! Não caiam nessa!

Vale a pena ser feliz do jeito que somos. E o que não gostamos pode ser mudado.

Eu sou uma menina com sonhos grandes, uma mulher que às vezes pensa pequeno, mas sempre em busca da minha melhor versão.

Não é uma etiqueta que me define. Não é a conta bancária que vai me dar paz. Não é o marido lindo que vai me fazer feliz…

É a minha paz interior que irá proporcionar tudo isso.

É a minha sapiência que fará do meu casamento longo e lindo. É o trabalho feito com respeito e dedicação que me trará bons retornos…

Toda mulher deve ser bem resolvida!

… Com o corpo, com a cabeça, com a vida amorosa e profissional. Devemos nos entregar aos prazeres da vida.

Comer um chocolate com vinho, usar uma roupa sexy e esperar as cantadas que receberemos, fazer sexo gostoso, viver de verdade sabe?

Fico boba que em pleno século XXI o sexo ainda seja um tabu entre os casais. Que só porque somos casados, temos que seguir o protocolo de não fazermos coisas escandalosamente prazerosas. Ficar só no “papai e mamãe silencioso”. Cadê a idéia da modernidade? Por que rotulam o sexo e o prazer a uma pessoa “imoral”?

Conhecer os nossos prazeres e os nossos limites é fundamental para a construção da nossa felicidade interna.

Que aprendamos de agora em diante que conhecer a si mesmo antes de qualquer outra pessoa, evitara alguns males. Respeite seu ponto de vista, mas não insista para que os outros bebam sua verdade.

Precise de alguém, dum colo… Mas aprenda a lidar com a sua solidão e fique bem com ela.

É na solidão que aprendemos quem somos, do que gostamos e para onde queremos ir.

É na solidão que paramos para ouvir os nossos sonhos e idealizar mudanças.

Não se apegue a cultura covarde de não merecer ser feliz porque você é diferente das demais pessoas.

Use a sua peculiaridade a seu favor e GOZE a vida.

 

Ilustração de @monicacrema.art

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s